Hoje o dia, para a equipe Flower People foi um dos mais duros e também um dos mais bonitos.
Então vamos começar pelo meio;

A trilha estava poética; descemos por um vale largo e verde emoldurado por dois paredões extensos de pedra, visual tipico da chapada diamantina.
Casinhas pareciam pinturas, como desenhos de criança , simplesinhas com um porta e duas janelas. Coloridinhas. Muitas com cor apenas na fachada principal e brancas nas laterais. Janelas desgastadas pelo tempo. Varais cheios de roupas coloridas.
Outras abadonadas, com tijolos à mostra e telhados desfeitos.
Campos verdes. Galinhas cruzando a estrada.
O sorriso de todos os baianos quando a gente passa.
Um “bom dia” que sai timido, os mais ousados arriscam um “Vão com Deus!”
E Deus veio. Ele estava ali com a gente, em todo o visual, na beleza do dia chuvoso, nas montanhas, nas cachoeiras.

Os dias vão passando, o cansaço aumentando, e as emoções ficam à flor da pele.
Agora vamos ao final da corrida;
Os últimos 9 km de subida no asfalto encontramos com duas duplas, as equipes subiram ajudando-se até cruzarmos o pórtico alinhados lado à lado. Lindo!
Os 95 km de um percurso de beleza impar acabaram depois de quase 9 hs de pedal!

Hoje quem teve o ataque de bichisse fui eu, fiquei bons km pedalando num ritmo mais fraco que o da Dri. O célebre homem da marreta me acertou com tudo.
Mas a equipe Flower People é dura na queda e nem que a gente chegue rastejando, a dança no final é garantida. Se tudo correr como o planejado ainda tem mais dois dias de dança!

O João e o Valério arrebentaram hoje e cruzaram o pórtico em quarto na geral!!!
A Celina e a Ivonne continuam soberanas em primeiro lugar. Não tem para ninguém!
Equipes Selva chegada de hoje; Ale Caco / Rafa e Filipe / Marcio e Le / Diogo e Toninho / Dri e Luli / Ju e Mura.
Amanhã tem mais. Vem com a gente!