No projeto inicial o percurso do ultimo dia teria um singletrack incrível dentro do parque nacional da Chapada Diamantina. Mas sem permissão da passagem, o percurso teve de ser alterado, e além de perder todo singletrack, a distancia aumentou. Noventa e oito quilômetros de mais estradão.

Houve uma enorme movimentação de equipes para mudar o último dia de prova. Trocar o trajeto por várias voltas no prólogo! E se tivesse um abaixo assinado, nós estaríamos ali com a maioria. Isso foi na véspera.
No dia, acho que a enorme maioria nem queria largar. Chovia torrencialmente. Sair da barraca nunca foi tão difícil.

Para a nossa felicidade e ritmo, nosso treinador decidiu que pedalaríamos todos juntos.
Ale, Le e Marcio, Diogo e Toninho,Carol e Carla, Dri e eu, escoltados pelo Caco. Era um rebanho.Toda vez que abria e eu ficava para trás começava a imitar uma ovelha “méééééé”. Lá vinha o Caco fazer esforço para juntar o rebanho novamente.
Seguimos assim por rios (tinha parte de percurso totalmente coberta de água) brincando e nos divertindo.

No meio da prova ainda encontramos com a Erika e a Raquel. A campeã do mtn bike estava com o braço imobilizado e sofria um pouco no downhill, mais duas para a nossa animada turma. “Legal!”

O pelotão animou no asfalto, e juntos cantando e gritando cruzamos o pórtico. Depois as famosas flexões de braço selváticas e muita festa!

Obrigada Caco, sem você não teríamos chegado até aqui. Obrigada a toda organização, além da eficiência a simpatia e carinho da Bahia que não existe em nenhum lugar do mundo!

Aos patrocinadores e apoiadores; Mormaii, Cofides, Nexplore e Rocky Mountain.
A todos os que torceram, acompanharam e dividem esse amor pela bike e aventuras.

Chapada Diamantina conquered! Lets go Pink another Planet!
Selvaaaaa!