Depois que chegamos a uma conclusão parcial de que não iríamos conseguir pedalar os 120km restantes, já tínhamos 60 km de pedal, decidimos continuar lutando bravamente e seguir em frente, até cair de cansaço.

Veja mais fotos e vídeos de esportes >>

Chegamos no bairro Campos Novos já inicio de noite, eram 6 da tarde e já estava escuro. Com 80 km pedalados no dia, eu estava acabada. Tive uma séria duvida se deveríamos continuar.

Conversando com o povoado do bairro descobrimos que tinha um caminho mais longo e menos íngrime para Cunha. Ao invés de 35 km com subidas insanamente íngrimes, seriam 50 e poucos mais brandos.
Compramos pilhas para nossos headlamps e decidimos seguir viagem pelo novo caminho.
Depois de pedalar várias horas no escuro sem cruzar com praticamente nada nem ninguém, as 10 e pouco da noite estávamos em outro bairro.
“Tem lugar para dormir aqui?”

“Não tem não moça!”
Momento de panico total! Teríamos nós que pedalar mais 23 km até Cunha?

Acabamos encontrando a 5 km dalí, um Hotel fazenda que nos acolheu num quarto improvisado (todos os quartos estavam ocupados) e finalmente quase 1h da manhã fomos dormir, com 120 km no dia pedalados e ainda sonhando com Paraty.