A fórmula apesar
de ser igual (JOÃO+LULI+BIKE+ATRELADO+DUAS BICICLETAS) muita coisa com
certeza que seria diferente. As expectativas eram grandes por isso na
hora da saída de Amarante, a nossa mente estava aberta para o início de
mais esta aventura. O nome da aventura foi então baptizada como
”EXPRESSO NORTE A SUL”.
1º TROÇO – AMARANTE – MONDIM DE BASTO
A
antiga linha do Tâmega agora transformada em ECOPISTA, ligando Amarante
ao concelho vizinho – Celorico de Basto foi onde fizemos os primeiros
kms. Beirando o Rio Tâmega, com o sol a pôr-se nas nossas costas e a lua
a ganhar vida realçando os contornos das Serras do Marão e Aboboreira…o
cenário era mágico! O nosso amigo Manel disse ‘’presente’’ e veio ao
nosso encontro, tornando o pedal mais divertido. Chegamos no nosso
primeiro Hotel, o Hotel Água em Mondim de Basto por volta das 21.30h. Um
hotel moderno, com um enquadramento incrível com a Sra. Da Graça e o
Rio Tâmega. Aqui o Rio segue por entre um desfiladeiro, com encostas de
pedra. Nesta altura do ano, a cor amarela das flores de mimosa e de tojo
pinta as encostas tornado o visual uma espécie aguarela. 
O Hotel Água
junta o conforto e modernidade ao enquadramento com a natureza. Um
espaço com requinte numa cidade toda ela rodeada de grandes atracções
naturais como a Sra. da Graça, Parque Natural do Alvão, Fisgas de Ermêlo
ou o Rio Tâmega. Agradecemos toda a gentiliza e simpatia com que fomos
tratados pelo staff do hotel! De salientar o restaurante do hotel com
pratos deliciosos, alguns deles utilizando alimentos da região. 

2º TROÇO – MONDIM DE BASTO – AMARANTE
O
regresso à cidade foi pelo caminho florestal entre Paradança e Fridão.
Foi o teste de fogo ao conjunto BIKE (DE ESTRADA) + ATRELADO. Os pneus
‘’slick’’ exigem atenção redobrada, mas o mais desafiante é controlar a
velocidade pois os travões da bicicleta de estrada são francamente menos
potentes que a bicicleta de BTT. O regresso à Amarante foi rápido,
almoçamos em casa, para logo de seguida sair em direcção à estação de
comboio na Livração.  Foram apenas 10km mas que pareceram 100km porque o
tempo mudou, começou a chover e o frio intensificou. Chegamos à estação
completamente encharcados e congelados. O comboio veio logo de seguida,
fizemos a viagem até ao Porto. Foi a primeira vez que fiz esta ligação e
fiquei convencido pela facilidade e comodidade do serviço.
Alertaram-nos para as dificuldades de transportar a bicicleta no
comboio, talvez com sorte desta vez foi fácil pois o revisor foi super
simpático e colaborou com a nossa aventura. 
1ª ALTERAÇÃO DE PLANOS
Chegamos
ao Porto era hora de trocar o comboio regional pelo Alfa Pendular.
Assim que cheguei na bilheteira e disse que o destino era Évora, logo me
disseram que não havia ligação entre Lisboa e Évora naquele dia, teria
que esperar pelo dia seguinte. Paramos 5min para pensar, decidimos então
alterar o destino, fazer Porto – Faro de Comboio e depois ir para
Sagres a pedalar. Ligamos para o Hotel de Sagres a perguntar se podíamos
trocar a reserva, responderam que sim, então lá fui eu novamente na
bilheteira…queremos ir para Faro, a resposta que veio foi, não há
ligação Lisboa – Faro à hora que vocês vão chegar a Lisboa….bem, aqui a
coisa ficou meia complicada…pensei novamente, sim eu também penso! Não
há comboio, deve haver bus, então liguei para a estação de camionagem a
confirmar, a resposta foi afirmativa. Tínhamos era de fazer 10km em
Lisboa entre a estação do comboio na Gare do Oriente e a Estação de
Caminogem em Sete Rios, tudo bem…nada que não se faça! Colocamos as
bicicletas no Alfa num espaço dedicado à bagagem e a viagem foi
tranquila até Lisboa. 
Chegando
em Lisboa, fomos brindados com o mesmo tempo de chuva e frio que no
Porto, não havia tempo para hesitações e saímos a pedalar com roupa
casual nas ruas movimentadas de Lisboa. Tínhamos 30min para fazer os
10km, tínhamos de ser rápidos e precisos…eu não tinha grande
referências, ainda por mais à noite!Entramos em vias rápidas, subimos
passeios e tivemos de ‘’contornar’’ alguns semáforos, mas chegamos a
tempo! Chegamos em Évora por volta das 23h, cansados a desejar um banho
quente e uma cama urgentemente…O dia já ia longo, mas ainda tínhamos 2km
para fazer até chegar ao nosso hotel. Seguimos as indicações até ao
Lugar do Espinheiro na aldeia de Canaviais, mas os 2km já tinham passado
faz tempo! 

CONVENTO DO ESPINHEIRO – ÉVORA
Todo o esforço para chegar ao Hotel ficou imediatamente esquecido assim que entramos na recepção do Convento do Espinheiro.
Um hotel que abriu em 2005 aproveitando as ruínas do antigo convento do
século XV – Convento do Espinheiro. É  I M P R E S S I O N A N T E, o
trabalho que aqui foi feito aproveitando e recuperando a espaço
existente. Os claustros, a igreja, a adega, o restaurante, a praça…tudo
com charme e requinte mantendo a traça original. Guiados pelo director
do Hotel, foi-nos contada na primeira pessoa e de uma forma apaixonante a
rica história do convento do espinheiro. Um local ‘’must-go’’ e que
irei recomendar a todas as pessoas que visitem o Alentejo. Dotado de
condições para quem utiliza a bicicleta para se deslocar, inclusive com
bicicletas disponíveis gratuitamente para os seus hóspedes. 
 
De
salientar o espaço envolvente ao hotel, com jardins, vinha, oliveiras,
aliás umas destas oliveiras tem mais de 1000anos, sim mil anos e
continua a produzir azeite para uso no restaurante do hotel. O
restaurante condiz com a qualidade do hotel, é acolhedor, charmoso,
requintado e com um atendimento super delicado e atencioso. Os pratos
são divinais, despertando todos os nossos sentidos!
Sair
do hotel fica difícil assim, mas tínhamos de continuar viagem rumo ao
Algarve. O Filipe Salvado veio ao nosso encontro para lhe deixarmos a
roupa que estava a mais no atrelado sendo assim cúmplice desta nossa
aventura! Obrigado Filipe!!

 
Voltamos
novamente ao comboio, para ligar Évora a Beja mas pela primeira na
nossa viagem encontramos um comboio com carruagem para bicicleta! A CP
(Comboios de Portugal) entrar no século XXI e tornar TODOS os seus
comboios ‘’BIKE FRIENDLY’’ tal como acontece em muitos países europeus. 

3º TROÇO – BEJA – FUNCHEIRA

Escrevo este texto sentado no Mc Donalds de Beja, vamos
pedalar noite a dentro cerca de 60km em direcção à localidade de
Funcheira…e seja o que Deus quiser!!


Fiquem desse lado!