Nesses ultimos dias tentei descobrir qual poderia ser a estratégia e tática para correr uma maratona. Falei com pessoas experientes, menos experientes, atletas, entusiastas e simpatizantes.
Ouvi várias respostas interessantes:

– Treine!

– Não tente ultrapassar o gordinho na largada.

– Alimente -se.

– Comece a 5 min/km e depois dos 21 comece a correr, se der…

– Somente pare nos 42,195.

– É a prova de 10 k mais difícil da sua vida, siplesmente porque ela começa no quilometro 32.

Corri 42 quilometros na maratona da Disney ha dois anos atrás, seguindo uma das estratégias que eu aprendi com OSKALUNGA uma equipe de corredores de aventura “A estratégia é o PLANO TOSCO, largue socando a bota, e torça para cair só depois do pórtico.” Nem preciso contar para vocês o que deu no plano tosco; eu caí antes do final e tive que rastejar os últimos quilometros.  Fechei a prova com 3’59 hs.

Dessa vez eu resolvi aceitar diferentes conselhos dos atletas da equipe New Balance com quem passei esses dias que antecederam a prova e me submeter a um experimento e tentar deixar o meu tão querido plano TOSCO de lado. Ciro, Gus, Maria, João traçaram logo as estratégias:

– Largue Zen, não saia como uma vaca louca.

– Os primeiros dez quilometros faça num pace bem confortável.

– Depois da metade da prova se conseguir aumentar um pouco, siga!

– Alimente-se religiosamente. Você só chegará no final se der energia ao seu corpo.

Talvez o verdadeiro segredo ao correr uma maratona seja baseado no famoso ditado que já dizia minha avó: “Quem corre por gosto, não se cansa.”
É isso! Amanhã sairei para um passeio, sairei para conhecer Roterdã, aproveitando a oportunidade de vivenciar um país diferente, fazer novos amigos e curtir mais um dia. Farei isso correndo!
Correndo 42 quilometros e 195 metros.
Até já!