Já no Rio, descubro que no final de semana iria ter prova de corrida:

_ “Cinco ou Dez?”
_ “Vamos de 5, porque o pedal sábado será longo!”
O pedal sábado foi na trilha do imperador, na região de Petrópolis. Com pouco grau de dificuldade técnica, mas ao lado da turma de amigos o dia lindo fez se repleto! 

Foram quase 70 quilômetros e minhas coxas gritavam na subida (É! Eu não contei mas quinta feira tinha feito um treino puxado de 15 de corrida) Estar no Rio de Janeiro, ainda mais em uma semana ensolarada fica difícil não treinar.
A medida que sábado ia passando, Régis, Inês e eu íamos nos conscientizando de que provavelmente iríamos chegar com tempo justo em casa para deixar as bikes e sair para a corrida noturna. Exatamente o que aconteceu; Foi chegar em casa e trocar a sapatilha pelo tênis de corrida.
A organização da prova estava bem tumultuada, a largada seria as 20 h, no mesmo horário que eles tinham permissão para fechar o Aterro do Flamengo; claro que a largada atrasou. De certa forma a desorganização me deu certa vantagem porque prontamente me posicionei na linha de frente.
Por voto vencido a estratégia mais uma vez seria o plano tosco* (corre para a morte e torce para morrer depois do pórtico) O engraçado de competição curta é que o sofrimento é concentrado; corre se no limite o tempo todo.
Larguei feito uma bala, virei o primeiro quilometro abaixo dos quatro minutos, mas claro que isso não poderia dar certo. Ali na frente já estava rezando para conseguir cair só depois de cruzar o pórtico. O Luiz (mais um carioca da turma que pedalou os 70 k) logo chegou em mim, com conforto me acompanhava no meu pace que estava em 4.30′. Com o passar dos quilômetros meu ritmo caiu ainda mais e não havia Cristo que me fizesse aumentar a velocidade. Até Luiz me abandonou!
O pior é que 300 metros antes da chegada tinha um pórtico “pegadinha” com um enorme “Sorria!” onde ficavam os fotógrafos posicionados para foto, mesmo tendo um pouco de ideia que ali pudesse não ser a linha de chegada, queimei tudo o que me restava. Passado o pórtico falso só faltava eu rastejar!
Como sofri nos metros finais, ainda tentando pegar uma mulher que me passou no ultimo quilometro, em vão! Com 22’min 33 cruzei o pórtico oficial de chegada, primeiro lugar na categoria e 12 entre as mulheres. Nada mal!

Quero fazer mais provas de velocidade, na próxima vez deixar o plano tosco de lado e tentar manter um pace rápido a corrida toda. 
Na sua opinião qual é a melhor estratégia para uma corrida de 5k?