Chegar no Havaí não foi fácil; só de avião foram 19 horas, sem contar com todas as outras em aeroportos.

Na viagem conheci Carlão, jogador de pólo aquático, corredor de aventura das antigas e campeão em sua categoria do Xterra Ilhabela. Ganhei carona ainda de pai e filho que me deixaram na porta do hotel! Obrigada dupla!

Descobri que entre os 800 atletas que competirão no domingo tem muitos brasileiros.

Hoje pela manhã fui retirar o kit da prova e montar a bike. Não demorou muito encontrei com a Bia, Andre e Marcão que estava ansiosíssimo para pedalar o percurso.

Chegou até ser engraçado os três saíram pedalando que nem foguetes, sorte que eu estava sem a marcha leve e não precisei fingir um ataque epilético para abandonar o percurso, a pane mecânica resolveu todo o meu problema! Desci com Carlão que também queria ajustar sua bike e não estava disposto a fazer o trecho todo.

A parte do percurso que fiz não tem nada de técnico, exige sim muito esforço físico porque além de subidas duras é preciso saber lidar com o calor extremamente úmido de Maiui. Os três fizeram a perna de bike em 3 horas, a Bia confirmou minhas impressões; pouco técnico porém travado, muito exigente fisicamente. “No final se prepara quando você acha que está acabando tem um single interminável.”

Depois desci até a praia para analisar o tamanho da encrenca (como se já não bastasse uma) De acordo com as dicas o mar é outro inimigo dos atletas; tem muita rebentação podendo dificultar a entrada e saída da água.

Mas isso tudo é detalhe! O mais importante veio na mala; a fantasia da festa de Halloween! 
Amanhã tem clinicas das modalidades apresentadas pelos atletas de elite. 
Fiquem aí que eu conto tudo!