Correndo os 15 k da New Balance, no asfalto de São Paulo, Ciro Violin me diz que eu não deveria estar competindo com musica nos ouvidos.
_ “Mas correr no asfalto sem música? O que me empurraria para frente?”

 Para mim musica nos treinos foi sempre fundamental, principalmente nos que faço sozinha na selva de pedra. E competir no asfalto então?! Não me imagino correndo uma maratona sem fones de ouvido. Em compensação quando o asfalto se transforma em trilha, numa montanha linda, no meio do mato, a musica dá lugar ao som da natureza, dos pássaros, do vento, de um silêncio que enche a alma. A regra para mim era clara; independente de competição ou treino, musica no asfalto e silêncio na montanha.

 Até que um dia descobri que Kilian Jornet (provavelmente o melhor corredor de montanha da atualidade) competia ouvindo música.
_ “Sério?”
 Eu que achava que todos os corredores de montanha eram “bicho grilo” no maior estilo Tony Kuprika corriam descalços, comiam orgânicos, corriam sem música e pregavam a paz mundial.

Estratégias sempre me fizeram curiosa, muito mais que equipamentos usados, sempre curti saber como outros atletas se preparam, quais são suas formas de concentração.

As divergentes opiniões no quesito musica me incentivaram a investigar.
Pergunta de loira do blog quer saber: “Musica ou não musica?”
Três jóias da montanha que dispensam apresentações: Fernanda Maciel, Rosalia Camargo Guarischi e Iazaldir Feitosa contam suas preferências sonoras =)

ROSALIA CAMARGO GUARISCHI
“Corro com música em competições. Sempre.
Nos treinos ouço muita notícia (um dos treinos de Rosalia é ir para o trabalho correndo). .. radio CBN… Sou viciada!
Quando monto meu playlist busco todos os tipos de música. Com certeza isso me dá um estímulo… me ajuda a ficar concentrada.

Troco de playlist a cada prova. Sou de fases e mudo tudo o tempo todo! Tem dois grupos que nunca saem do meu playlist: Neil Young e Bob Marley. Durante as competições deixo as musicas no random… gosto da surpresa!”

IAZALDIR FEITOZA
“Treino e compito com música!
Monto uma playlist em cima da prova e sigo uma ordem para determinados trechos.
Uso música em treinos e provas longas.
A música que me empurra atualmente é “With a spirit” – 009 Sound System”

FERNANDA MACIEL
“Eu uso musica algumas vezes quando treino em asfalto ou pista plana…ou seja quando não estou na montanha. Na montanha ou mata fechada não uso.

Já usei música durante duas provas…uma vez correndo a Ultra Cavalls del Vent e outra correndo a CCC Ultra Trail du Mont Blanc…a experiência foi estranha…chegou um momento que não aguentei ficar com o fone no ouvido e dai tirei para poder escutar meu corpo e o vento.

A musica afeta meu desempenho sim. Se estou desmotivada para um treino de series ou para um longo, ela me ajuda. Porém numa competição (onde já venho com toda a pilha), num evento importante que me preparei durante meses, acho que a musica pode me atrapalhar ou me distrair. Acho importante não ter a musica para que minha concentração fique focada 100% no meu corpo, respiração,  no caminho que tenho que percorrer, para escutar algum outro corredor que precise de ajuda ou para escutar o telefone tocar no caso de alguma emergência como uma avalanche, onde a organização te informe do acidente e o corredor tenha que parar. A musica me atrapalha nestes dias de prova.

As musicas que mais me poem pilha são as do ACDC. Em descidas não posso escutá-las, corro risco de me arrebentar.”