CORRERIA PRE LARGADA

Para ir para a largada da competição foi uma correria, eu perdi a carona do Rick porque estava tudo interditado e a malandrona aqui que achava que ia chegar na largada a pé só se deu bem porque o último ônibus da Disney que ia para o Epcot quase me pôs pelos cabelos para dentro!

Os dois quilômetros que distanciam a parada do ônibus para o pórtico foram na base do sprint e para quem não estava querendo aquecer eu estava a própria atleta de elite.

Entrei no meu wave B segundos antes da largada, ainda bem atordoada pela correria nem consegui dar boa prova direito para o Ricks que estava ali para saber se eu tinha conseguido chegar.

Os nossos waves de largada eram diferentes e dessa vez não conseguimos largar juntos, eu tinha tanta certeza que isso não ia acontecer que saí de casa sem o mp3. Agora estava ali sozinha eu, minhas asas de turbo jets embaixo do pórtico pronta para continuar correndo.

A PROVA “To infinity and beyond!”

As largadas da Disney sempre emocionam. Estar sem música nos ouvidos me fez mais presente ainda; fui obrigada a me entender com a minha ofegante respiração de começo de prova, mas por outro lado era possível ouvir toda vez que me chamavam, o staff e a torcida gritavam:”Buzz, Buzz!”

A estratégia era a mesma do dia anterior; parar para tirar foto com todos os personagens! Nem que não fosse, estaria fadada a esse destino; os 10 quilômetros da véspera (talvez não exatamente eles mas as oito horas subsequentes de parque) estavam pesando nas perninhas.

A asa do Buzz lightyear estava ótima comparando com a da Sininho do ano passado, as luvas estavam me esquentando tanto quanto as polainas do dia anterior, mas sem gorro estava mais fácil lidar com calor. Uma vez Buzz para sempre Buzz, eu iria até o fim comprometida com meu astronauta!

O mundo mágico se encarrega da distração ao longo de todo percurso tem bandas, dj, navios, castelos, personagens e os parques.
Ahhh os parques! Entrar no Magic Kingdom arrepia a alma, primeiro porque tem uma multidão de torcedores amontoados e histéricos incentivando os atletas. Imaginem o Buzz?! A euforia e gritos acompanhavam meu pace! Nesses momentos corria gargalhando, que energia contagiante!
E depois da curva? Ali está ele, soberano e iluminado; o castelo da Cinderela, o clímax da nossa história, a metade do percurso!
O Donald e a Margarida, o Buzz lightyear!!! O Woody…

Dali para frente eu comecei a lutar com o meu corpo, sentia que o ritmo estava diminuindo mas não conseguia reverter o quadro.

Pior, o pacer das 2 horas de prova estava me passando e por mais que eu não estivesse correndo atrás de tempo me deixou incomodada!
Depois que acostumei com a ideia segui me divertindo, encontrei o Mickey e muitos outros, todos que cruzei parei para o clique!

Final de prova é sempre emocionante, mais multidão gritando, música, os speakers anunciando as chegadas, muita energia boa…
Mais uma meia maratona que chega ao fim abrindo o ano novo de competições! 
E como diria o rato: “Have a magical year everyone!”

Resultado 56 (de 1.670) na categoria e 450 (de 11.203):