Pela primeira vez na prova não fomos as últimas do dia. Havia uma mulher que remava mais devagar que a gente! Droga! Perdemos o nosso D.J e musica do barquinho vassoura que fechava o percurso.

À medida que os dias iam passando a gente ia evoluindo em ritmo e experiência de “terreno”. Aprendemos a ler o vento, a fazer as curvas bem na tangente pelos trechos sinuosos, evoluímos no vácuo.

Mas o terceiro dia além das quase sete horas e meia de competição ficou marcado pela ovelha.
Pouco antes de chegar no meio do percurso a Dri olha para o lado e ve uma ovelhinha na água:

_”Luli, Meu Deus! Precisamos salvar a ovelha.”
A bichinha tinha água acima de sua barriga e estava atolada na água, e chamava incansavelmente sua mãe:
_”Meeeé meeeé!”

No minuto que descemos de nossas pranchas tínhamos água pela cintura e lodo pelo joelho, era bem dificil caminhar com tanto lodo. Ao nos aproximarmos a ovelhinha ficou quieta, de certa forma parecia que ela sabia que estávamos tentando ajudá-la.

Primeiro tentamos erguê la, que foi extremamente duro, como ela era pesada!!! No segundo momento a ovelhinha se virou em direção à prancha, neste momento nós três tivemos a mesma ideia: primeiro a prancha e depois o barranco.

Com ajuda da nossa amiga de quatro patas a colocamos sobre a prancha e rapidamente no barranco, mas o barranco ela ingrime e enquanto a gente fazia força para suspender a pobrezinha escorregávamos na lama. A Dri ria, e eu preocupada com a ovelha que parecia ter quebrado a pata colocava todo o meu peso contra ela para que ela não caísse de volta na água.

_”Dri, para de rir e faz força senão não conseguiremos.”
No minuto que conseguimos finalmente empurrar a ovelhinha pata cima do barranco, ela se balançou tirou a água de seu corpo e saiu toda saltitante em direção à sua mãe, a risada da Dri se transformou em choro de emoção.

Voltamos para ocanal e logo passou o barco vassoura.
_”O que vocês fazem aqui?”
_”Acabamos de salvar uma ovelha!”
Pronto! daí em diante o assunto rendeu o dia todo e na premiação do terceiro estágio fomos coroadas com dois gorros de lã; as heroínas do dia!