Atlantida é um vilarejo pacato muito perto de Montevidéu. Uma praia longa margeada por uma vegetação árida, para nós brasileiros uma praia que não impressiona muito mas mesmo assim me encantei com o lugar. Uma paz que remete ao passado, onde o progresso parece chegar mais devagar assim como anda o tempo; com calma.

Fui extremamente bem recebida pelos organizadores da prova Ruben e Frederica me fizeram sentir em casa; teve até jantar de recepção para a mini turma internacional, meus companheiros de alojamento o brazuca Alexandre Manzan e o argentino Andres Darricau.

Mas vamos para bike: o percurso do Xterra poderia ser testado pelos atletas hoje, na véspera da competição, eu não sou muito de averiguar o que vem pela frente mas quando soube que seria em uma competição de xcountry, imaginei que pudesse me divertir.

A largada foi no final do dia após o triatlon promocional e o das crianças (que coisa mais fofa). O percurso são quatro voltas e a largada na famosa Águia “La Quimera” monumento turístico da cidade.
Quando pesquisei o percurso pelo site fiquei meio apreensiva por ser muito plano (lembrando aqui que assim os triatletas de asfalto levam vantagem) não levei em consideração que Ruben, o organizador da prova é corredor de aventura! Santa alma!

O percurso apesar de pouca altimetria é extremamente exigente com muitos trechos de areiao onde é impossível pedalar. De sorriso no rosto e língua para fora curtia desenfreadamente a primeira volta. Não há tempo de pensar na vida, troca de marcha, pedala na areia, troca de marcha faz o downhill, troca de marcha, sobre, desce da bike, pula o tronco, empurra a bike, carrega a bike…e ai quando chega na praia de areia batida achando que vai conseguir puxar no dos poucos trechos de reta vem um vento que quase te joga para traz. Resumindo Exigente e muito divertido!

Na primeira volta quando cheguei onde imaginava que tinha que virar tinha uma seta para a direita, o atleta da minha frente virou para esquerda, eu fiquei bem na duvida mas segui, mesmo porque não tinha entendido o sotaque rapido uruguaiano no briefing.

Conclusão; errei! Eu e vários atletas. Claro que só descobri isso quando dava a segunda volta, ai vem o momento da duvida; será que continuo e terei que dar a quinta volta já que perdi o posto de controle? ai decidi desacelerar e dar a terceira volta fotográfica para contar um pouco da história em fotos.

O lado bom é que já estou craque em todas as mudanças necessárias, de marcha, todas as vezes que é preciso descer da bike, empurrar, saltar e virar. Agora é descansar porque amanhã tem mais diversão! Obrigada a todos que mandaram boas vibes, amanhã vamos junto! Irrraaaaa!!!