Catarina

Você resolveu nascer no dia da mulher, no mesmo dia marcado resolvi competir o short triathlon do Xterra. Pois é, eu sei, sua mãe bem que me queria na janela da maternidade para dividir essa espera maravilhosa.

Adrenalina da sala de parto, adrenalina sob o pórtico de largada.

Corri com seu nome escrito na minha perna e de unhas pintadas de cor de rosa. Acredita que só comecei a pintar unhas para competir? Foi sua mãe mesmo que fez minha mão da primeira vez. Hoje em dia muitas crianças já fazem isso, na minha época era proibido, mas não importa!

Torcida na maternidade, torcida na praia.

A natação foi mais fácil do que imaginei, depois que competi no Uruguai resolvi tomar vergonha na cara e treinar um pouco, claro que a roupa de borracha me ajudou muito
Eu estava ansiosa para usar a modalidade multisporte do meu Suunto, e logo que saí da água já troquei para transição. Perfeito!

Mari uma menina linda, como você deve ser, veio me dar apoio e me trouxe água enquanto apressada eu colocava a sapatilha.
Quando entrei na bike olhei para o seu nome na minha perna, acelerei. A essas horas você já estava arrasando corações na maternidade. Tentei enxergar o percurso através dos seus olhos; e agradeci o momento como se estivesse ali pela primeira vez.

O instante fez se presente.

Assim não fiquei tão brava quanto tentei passar uns marmanjos que não abriam na trilha. Tinha muita lama, o percurso com ótimos singlestracks mas que pelas condições do tempo muitos lugares não estavam pedaláveis. Ai um grupo simpático de homens abriu para eu passar pedalando e segui recuperando posições que perdi nadando. O mundo também é cheio de gente boa! Um deles me desejou feliz dia da mulher. Feliz mesmo.

Feliz como seus pais, feliz como os atletas.

O percurso da bike tinha vários trechos da corrida dos 21k que fiz ontem, mais curto quinze quilômetros passaram rapidinho. Logo estava na transição novamente. Quando cheguei lá me disseram que eu era a quarta mulher. Foi com tênis no pé, passos largos e determinação que passei a terceira colocada na corrida, exatamente o oposto que aconteceu comigo na ultima competição, dessa vez ao invés de ser passada, ultrapassei. Segui feliz de sorriso no rosto, escoltada pelas motos passei pelo pórtico de chegada em terceiro. Primeira da categoria amadora.

A Catarina chegou!

1:56 h de prova passou ventando! Pois é, pequena, a vida parece que passa assim; num minuto estamos no pórtico de largada no seguinte já estamos cheios de histórias para contar, então, minha amada, se eu puder te dar conselho viva ela com a consciência do presente, faça coisas que ame e agradeça todos os dias. Por fim, se for para pintar as unhas, que seja de lama!

Seja bem-vinda! Esse planeta é maravilhoso!
Amanhã estou aí, para te conhecer pessoalmente e entregar o seu troféu!