O plano do dia: remar até Homps. Sete eclusas e dezoito quilômetros, uma distancia boa sem exageros. Como gostaríamos de pegar o finalzinho do dia na água decidimos que não teríamos pressa alguma.

Saímos sem bateria, talvez pelos 60 km de remo acumulados dos últimos dois dias ou porque no dia anterior passamos à camembert e pão no almoço e jantar.Dia de uma brisinha suave e muitas vezes sem nada, e o calor veio como num dia de verão.

Na hora do almoço ancoramos nossas pranchas perto de uma ponte em Puichéric, um vilarejo, para comer. Andamos por um bom tempo sem encontrar ninguém. Segunda feira aqui também é sagrada e ninguém trabalha! Quando estávamos quase sem esperanças (sem energia já estávamos faz tempo) um restaurantezinho nos salvou! Almoçamos curtindo o dia.

Voltamos para a água e seguimos para Homps. Num outro vilarejo cansadas do calor paramos para um sorvete, sem sucesso, tudo fechado!

Homps! No momento “luz dourada” do dia chegamos ao nosso destino final. Nosso b&b na frente do Midi, um casarão no meio de um lindo jardim. Ainda deu tempo para sentarmos num restaurante e jantarmos como merecíamos. Teve até vinho!
Amanhã tem mais!