Um café reunido em família no hotel foi outro ponto alto e surrealista da viagem.
No dia que meu pai voltava para o Brasil, Tom e Becca trataram de providenciar duas companheiras para a Brava.

 O destino já estava mais ou menos traçado por eles, então resolvi prolongar a viagem e me juntar a conquista Mediterrâneo-Atlântico, subindo o Canal du Midi e passandoToulouse ao lado do rio Garonne até Bordeaux.

Após uma despedida rápida ao lado do Canal responsável pela união familiar, almoçamos e iniciamos a viagem;Tom, Becca, Luli, Brava e suas amigas francesas ainda não batizadas. O dia estava ideal para o pedal; fresquinho e um pouco encoberto.

O plano era Carcassone, mas eu estava lenta. (Além de ser penetra na viagem eu ainda atrapalhava o ritmo).
As sete da noite o pneu da Bike do Tom furou, e a brincadeira
_ “Ta enchendo?”
_ “Rien, Rien” _ de não conseguir encher o pneu com a bomba levou ao batismo da primeira francesinha “Rien!”

Enquanto o Tom caminhava de volta a um ponto que vimos um Auberge, Becca e eu fomos na frente pedalando para descobrir onde dormir. O simpático dono do restaurante nos reservou uma pousada na “cidade” seguinte Argeliers. Conseguimos arrumar o pneu e pronto.

A pousada era uma construção datada de quase mil anos.
Como era sábado felizmente jantamos muito bem no restaurante da Vila!
Amanhã tem mais!