Segundo dia que tive que pedir arrego. Novamente planejamos até onde a dupla iria pedalar e elaboramos o plano.

_”Se você mudar o plano deixe pistas na frente do prédio da prefeitura de Villandraut.”

O tempo estava nublado e vez ou outra chuviscos se manifestavam, então saindo de Damazan já fui direto pegar o trem e de Aiguillon segui para Langon onde desci e segui por uma via verde até o destino combinado.

As vias verdes aqui na França são realmente de impressionar; feitas para bicicleta, às vezes em trilhos ou estradas desativadas. Sempre bem conservadas e bem sinalizadas, nem precisei usar o Suunto era só seguir o caminho pavimentado margeado por árvores e verde.

Não encontrei ninguém, pedalei por duas horas sem pressa na companhia do silencio interrompido muitas vezes por pássaros que cantavam descontroladamente. Às vezes a chuva caia. Nessa viagem passei muitos dias sozinha, aprendi a não ter pressa, a fazer do caminho a viagem. Curti muito os dias introspectivos e o silencio me levou a muitos lugares.

Chegando em Villandraut fiquei surpresa porque a Vila era muito pequenina mas tinhas tudo até um hotelzinho na praça principal. No momento da fome não tive duvida, fiz o check in e logo após o almoço fui deixar colado no predio da prefeitura, a pista de onde seria o paradeiro aos dois bravos que ainda não cansaram de pedalar.

Villandraut, é conhecida pelo seu pequeno Castelo de 1300 que fora construído para o Papa Clemente. Aconchegante e encantadora.
O final da tarde mostrou se ensolarado e depois que os dois chegaram fomos comer uma pizza sentados a luz do dia para curtir o por do sol! 30 km para minha contra e quase 80 para a deles.