O programa era ir até Tepoztlan.
_”E Subir Tepozteco uma montanhinha ridícula?”

Com toda paciência de aguentar a namorada que acha que sabe tudo, Jesus explicou que o programa do dia não era apenas escalar uma montanhinha.
Tenho que dar o braço a torcer; Tepoz como é chamada pelos íntimos é um pueblo mágico localizado entre montanhas, ha uma hora de carro ao sul da Cidade do México. Mística e zen.

Família reunida para encarar o desafio. Itzel com Derek de apenas 1 ano e 7 meses em seu colo. “Isso não vai dar certo!” pensei eu encarando a placa da famosa “montanhinha.”.

“Sigam na frente, nós iremos logo em seguida.” Sem nos preocupar aceleramos os passos. Toca a subir! A subida é praticamente uma escada em pedra, com trechos bastante irregulares e ingrimes. Em momento algum parei para pensar que a altitude (a cidade do méxico está a 2200 mts) pudesse me afetar, mas na prática nos primeiros passos já me faltava ar.

“Maldita hora que eu fui desafiar Tepozteco (a montanha leva o nome de um deus mexicano.)” Na metade do percurso já estava tropeçando na língua, e pagando todos os pecados, inclusive o de hoje.

Uma hora depois estávamos no topo da pequena pirâmide, a cereja do bolo. A vista da cidade é linda, no meio da natureza, paramos para ouvir os passarinhos cantarem em um dia de calor intenso.

Quando resolvemos descer adivinha quem chegava? Derek e sua turma!