Saímos de Viseu, dessa vez traçamos uma rota por estradinhas menores ainda, que passavam por aldeias com casinhas de pedra e vastas plantações. Fontes seculares também nunca faltam no caminho!
As aldeias eram tão pequenas que algumas nem café tinham, ai tivemos que fazer um desvio para achar um restaurante para almoçar. Talvez é por isso que a quilometragem prevista nunca bate com a quilometragem final, e a gente se diverte!

 
DCIM100GOPROAlmoçamos num terraço sob uma árvore linda. O restaurante estava cheio de senhores e senhoras locais que tomavam um cafe convivendo e aproveitando a vida passar num ritmo que muitos de nós não sabemos viver, e como se diz aqui em portugal “eles é que sabem!”.
Na esplanada também ficamos amigas de um simpático cachorro, e sua dona Karina achou a nossa fan page no facebook depois! Essa é mais uma das histórias deliciosas de Portugal, esse pais que conquista cada dia mais nosso coração!

Depois do almoço a subida apareceu (nenhuma novidade) e o primeiro perrengue divertido da viagem; atravessar um Rio por pedras. Demoramos um bom tempo talvez mais ainda porque não parávamos de rir. Depois do perrengue, veio a chuva! Por essa a gente não esperava, mas por sorte estávamos cruzando uma aldeia e paramos num “puxadinho” e logo ela parou.
A chuva nos trouxe o joie de vivre; um arco iris bem marcado que cruzava Portugal de norte à sul. Não conseguíamos pedalar porque a beleza era tanta que nos deixou congeladas admirando aquele céu dourado que refletia no cinzento nebuloso, hora de parar para agradecer!
Paramos para dormir em Mezio em uma aldeia, numa casa rural dessas de pedra preserrvadas e restauradas. Mágica! Boa noite!

IMG_8214 IMG_8233 IMG_8241IMG_8247