“Um dia sonhei que vestia a camiseta amarela e alinhava na largada com lendas da bike.”

De capa cor de rosa e de sorriso amarelo no rosto, da mesma cor da minha camiseta do dia, meio assim sem jeito, alinhei na frente para largar. Tentando conquistar meu espaço, se não fosse pela força que fosse pelo sorriso. Logo saquei o celular e tentando conquistar meus novos amigos soltei:

“Selfie!”

img_5108Ambiente estava descontraído. Ufa!

Os primeiros dois quilômetros de prova foram uma largada controlada num downhill, depois disso juntou se o grupo novamente e força nas pernas. A primeira subida tinha um trecho de asfalto, com 5 quilômetros de prova já vinha a primeira marretada. A segunda colocada estava colada em mim, ela pedala num grupo com mais 3 homens. Me senti sem equipe. Eles me passaram e por um trecho eu fui pedalando atrás dela. O asfalto acabou e a subida começou a ficar mais técnica acelerei passei novamente e tentei seguir girando. “O dia vai ser longo.”

O primeiro downhill foi absolutamente mágico, em singletrack fluído no meio de plantação de milho seca, com vistas alucinantes da montanha. Longo e extremamente divertido cheguei lá embaixo com um sorriso no rosto que demorou para sair.

img_5111Mais outro trecho de asfalto eu consegui ir ritmada, mas sem grandes pretensões, sabia que o pior estava por vir. “The Killer” uma famosa subida de 15 quilômetros começaria quando estivéssemos com 30 quilômetros já de prova. Eu não consigo descrever para vocês o que foi essa subida interminável.

Foram quase duas horas de subida. No meio dela já no desespero percebi que meu celular tinha rede e resolvi ligar para meu namorado para ver se de alguma forma conseguia aliviar o sofrimento. Sem resposta. Bom, vamos ao instagram! No ponto de agua passei mais dois atletas que também “divertiam se” com o esforço desprendido que parecia ser interminável.

Para mim (e para todos os atletas que conversei na chegada) a tal The Killer não terminou nunca! Supostamente depois do quilometro 55 viria um descida, eu não sei se estava física e psicologicamente abalada, mas já não enxergava nada e como pedalo muito sozinha torcia para que estivesse no caminho certo porque nem mais as fitas estava enxergando mais.

Com 69 quilômetros de prova (deles 25 k ou de subida) 1.700 de ascensão e 5.18 h de prova cruzei o pórtico de chegada, garantindo o primeiro lugar e a camiseta amarela para amanhã com mais horas na frente da segunda mulher.

Amanhã é o ultimo dia! E tem mais yellow Jersey selfie na largada! Ihaaaa!

A vitória de hoje vai para Rui, meu namorado, que incansavelmente me apoia, motiva e me aguenta ligando às três da manhã. Love you!

Obrigada à todos que estão ai mandando mensagens e boas energias! Amo vocês!

img_5112