Eu sei já estou começando a história pelo meio. No capítulo anterior, ainda não escrito, saí da Austrália de mala e cuia (lê-se bike) para Portugal. Abandonei o calorzinho do ano todo para aprender intimamente o que é pedalar no frio. Ontem após uma experiência, digamos assim, traumática de pedalar na chuva com 6 graus de temperatura, rezei muito para que o tempo hoje estivesse bom para o nosso treino.

Raid Rebordosa, o programa de domingo. Raid é um passeio de bicicleta organizado; percurso marcado, ponto de abastecimento, marshals no caminho. Aparentemente costumam ser bem populares aqui no país do vinho.

Alinhamos para largar às nove. São Pedro ouviu minhas preces, o dia estava sem chuva e o frio foi rapidamente esquecido nas primeiras pedaladas atrás do carro escolta. O ritmo forte foi o escolhido, forte para mim porque o Rui seguia ao meu lado no ritmo passeio. Algo que meu psicológico vai ter que aprender a lidar; enquanto uns sofrem outros assobiam.

As trilhas de Portugal encantam, e as de hoje foram escolhidas com amor pelos organizadores; muitas delas técnicas com pedras, passando por vilarejos, florestas, campos, rios, parreiras. A cor do outono para uma órfã de estações é de maravilhar; a paisagem portuguesa parece uma pintura com tons quentes das árvores.

Na velocidade do pedal a manhã passou, a companhia só acelerou o relógio.

Que venham muitos mais quilômetros de vida!IV Raid rebordosa