O nosso 14lugar de ontem apesar da boa colocação nas duplas mistas nos deixou na geral no pelotão do fundo. O que nos assegurou a saída no último box de largada. “A turma do fundão é sempre a mais animada!”

O dia prometia ser longo quase 90 quilômetros com uma boa altimetria e uma subida ardida no meio do percurso.

Largamos nos divertindo sem nos preocuparmos muito com posições. Um dia azul incrível de calor que anuncia mesmo a primavera chegando.

O primeiro trecho da prova era, como dizem aqui; um rompe pernas! Aquele sobe e desce continuo que quebra qualquer bom andamento.

Nós largamos preparados para equilibrar esforços; a coleira amarrada na bike do Rui pronta para conectar as duas bicicletas e me ajudar nas subidas.

Fomos assim desde o começo da prova conectando e desconectando o reboque de acordo com subidas e descidas.
“Eu quero uma dessa pra mim!”
“Tem outra corda?”
Íamos nos divertindo e divertindo os outros a medida que ultrapassávamos algumas duplas.

Imprimimos um ritmo conjunto forte desde a largada. Eu me senti bem e o Rui também então seguíamos assim. O caso é que ainda era apenas o começo de um dia longo, seguir com o plano tosco talvez não fosse a melhor opção.

Essa é a segunda vez que competimos juntos, da outra vez que o fizemos, imprimimos o ritmo forte e quebramos no quilômetro 60. “Bom o problema de depois fica para depois. Siga!”

O Rui estava muito forte! Com o reboque as subidas ficavam muito mais leves para mim. Isso fez com que eu poupasse muita energia e gerisse melhor o esforço ao longo do dia.

O percurso da prova foi muito rolante; estradões em sua maioria e quando vinham os singletracks eles eram bem fluidos. Bastava ter um pouco de técnica que formava se uma fila. Algumas vezes tivemos que ficar no trânsito, e a maioria delas era difícil de entender porque tínhamos parado.

“Duas duplas mistas logo aí a frente!” Rui já se manifesta com más (ou boas) intenções.
Ainda estávamos no quilômetro 50 não sei se seria boa ideia ir para o ataque, mas como ainda tínhamos energia resolvemos seguir com o plano.

A primeira conseguimos passar sem muito esforço, a segunda demorou mais um pouco e depois que o fizemos aceleramos o ritmo um pouco. “Não força! Continua certinho!”
“Ainda faltam 30 quilômetros. Socorro!”

No final já quase apareciam câimbras no Rui e eu nem conseguia mais falar. Inacreditavelmente não quebramos e conseguimos gerir o esforço até a chegada. Com pouco mais de 6 horas de prova terminamos os 90 quilômetros do dia. Caindo para 19 na categoria mais subindo no ranking geral. Muito felizes com nossa prestação porque conseguimos nos divertir e competir ao mesmo tempo!

Escrevendo o relato do dia agora morta aqui no quarto do hotel penso o que será de nós amanhã? Fiquem aí que vamos descobrir! Boa noite!