Quem em sã consciência compra uma batata frita com sabor de pepino? Mas eu juro que a pipoca era boa.

Antes de vir para China, Guilin era certo. Depois comecei a acompanhar postagens do país e pesquisar regiões, descobri Zhangjiajie, outro destino encantador por suas montanhas exóticas.

Descobri também que ir de trem era uma viagem de pelo menos 9 horas (Zhangjiajie fica em uma província diferente, a de Hunan) mas que a partir de 2019 a Southern China lançou voo direto Guilin para Zhangjiajie. Comprar sozinha com antecedência a passagem de um voo interno na China foi um capítulo à parte, mas como deu certo, vamos para o seguinte:

No aeroporto de Guilin também atrai olhares curiosos e mais uma vez, enquanto esperava o meu voo, chineses pedem selfies. Acho que vou começar a cobrar.

Eu pedi um lugar na janela. Do meu lado duas senhoras. O Chinês não é um povo de sorriso fácil, claro existem exceções, mas no geral são bem sérios. Se você não cumprimentar eles não cumprimentam, mas se tomar a iniciativa eles sempre respondem, aos sorrisos às vezes sim outras não. 

Num segundo momento após eu oferecer a minha pipoca e a senhora aceitar ja começamos a conversar. Ela em Chines e eu em Português, e te digo, teve muita conversa.

O voo de uma hora se resumiu em 597 fotos que eu tirei da minha janela do avião com o celular da minha mais nova amiga, que sem sempre fazia cara de aprovação para os meus cliques. “Ta bom, eu tiro outra!”

Quando aterrizamos quem cutucava ela era eu: “Olha, Olha!” Eu estava que nem me controlava ao ver o recorte das montanhas no horizonte, identificando a protagonista da cena; Tiamen Mountain, mais uma montanha furada! (olha a foto com atenção que da para ver!)

Ao sair do pequeno aeroporto não vi nenhuma placa com meu nome. O que eu temia aconteceu; não receberam meu segundo email. Mas a Chinesa da informação turística ligou para o meu hotel. Meu transfer chegou uns 20 minutos depois: “Desculpa te esquecemos!”

Ja cheguei tarde aqui e o que me restou foi pegar a “ratoeira” (como meu irmão chama as bicicletas velhas) do hotel e ir explorar a cidade.

“Posso levar a bike? Onde tem cadeado?” _que ingenuidade a minha…

“Hahaha” _o chines riu; “Ninguém vai roubar essa bike.”

Ja em barulho de cidade grande de novo e ruas movimentadas, como Guilin, o meu alarme interno começa a tocar. Continuei rodando a cidade mas escolhi um parque verde qualquer de destino. Para chegar la passei por becos e ruazinhas estreitas.

Dizem que os cachorros são como os donos. Tal e qual; aqui na China eles não latem e nem abanam o rabo. E olha que eu tenho tentado fazer amizades!

No meio da cidade um morro verde; Huilong park é para la que eu vou. Larguei minha bike estacionada e comecei a fugir, até atenuar o barulho da cidade. Estava no topo.

Um oasis que me acalmou novamente, lentamente mode on voltou. La de cima, de um lado via se a dimensão do centro da cidade, de outro contrastando a dimensão das montanhas recortando o horizonte de maneira peculiar.

Um passeio pacifico no parque! Mais uma vez; sozinha, em locais calmos e tranquilos.

A tarde termina num banco sob um templo, ouvindo musica chinesa e observando um senhor em sua pratica de Tai Chi.

Obrigada pelo carinho que tenho recebido em forma de comentários, é gostoso saber que não viajo sozinha! Fiquem ai; amanha atacamos as montanhas!

Love from Zhangjiajie!